Na língua portuguesa existem três pessoas do discurso, ou pessoas gramaticais. A primeira pessoa é aquela que fala (eu, nós); a segunda pessoa é aquela com quem se fala (tu, vós); e a terceira pessoa, aquela de quem se fala (ela, elas ele, eles). Os pronomes constituem uma classe de palavras muito útil, pois eles representam ou determinam os nomes dos seres, indicando a pessoa do discurso. A substituição de nomes por pronomes é uma ferramenta linguística bastante importante, pois permite que a comunicação se torne mais fluida, menos rígida e repetitiva.

Na língua portuguesa há seis classes de pronomes:

1. Pronomes pessoais: são palavras que representam as pessoas do discurso, na função do sujeito ou objeto da oração.

Exemplo: Juliana havia chegado tarde em casa. Ela ainda dormia quando a mãe a acordou.

2. Pronomes possessivos: atribuem a posse de alguma coisa às pessoas do discurso.

Exemplo: meu livro é maior do que o seu.

3. Pronomes demonstrativos: indicam lugar, posição ou identidade dos seres do discurso.

Exemplo: gostei deste carro!

4. Pronomes relativos:representam nomes já referidos, com os quais estão relacionados. Eles nos permitem unir duas orações numa única frase.

Exemplo: Das árvores caíam folhas que o vento levava

5. Pronomes indefinidos:indicam as pessoas do discurso de modo vago e impreciso, quase sempre indicando uma generalização.

Exemplo: Quem avisa amigo é.

6. Pronomes interrogativos: são usados em perguntas.

Exemplo: Que dia é hoje?

 

Autoria: Lucas Cavalcanti Botelho é professor de inglês e língua portuguesa. Estuda ciências da educação na universidade VUB da Bélgica, e História na Unicamp.